sexta-feira, 26 de novembro de 2010

A doutora dos olhos dourados teve direito a um poema...

A Yashmeen procurou musas e eu não me fiz rogada.
Este é o resultado:

Ora a doutora também vem

pôr à prova trovadores?

Pois para si escrevo rimas

perguntando-me - porquê?

Como dessas invictas brumas

nas quais ambas florescemos

rebentaram como flores

tamanhos olhos dourados?

Pois donzela, Deus vos marcou

ao pintar de sol esse olhar

Não serei eu quem o cante

mas serão o inferno de Dante

de quem vos ousar amar?

Ah, garbosa e doce gazela

de longa crina alourada

Fosse eu o seu poeta

e haveria de os cantar!

Não há cantiga de amigo

que ao seu brilho faça jus

Que os olhos de ouro que digo

são dois pedaços de luz.