sexta-feira, 29 de maio de 2009

Andar de autocarro

(imagem retirada da net)

Desde que me licenciei que não andava de forma contínua e reiterada de autocarro. As pessoas que andam de autocarro são muito diferentes das que andam de metro. Todos os dias ando de metro e de autocarro. Já conheço de vista algumas pessoas e alguns hábitos.
A principal característica é o facto de não conhecerem o significado de banho diário, seja a que hora for, o cheiro a "gente" faz-se sentir. Mesmo assim, quem anda de autocarro não gosta das janelas abertas, já assisti a inúmeras discussões sobre o ar que vem da janela aberta provocar constipações e demais doenças. Supostamente agora os autocarros têm ar condicionado, mas eu nunca o senti, os condutores devem-no desligar assim que me vêm na paragem a esticar o braço para que o bus pare.
Uma grande parte de quem tem telemóvel que permita ouvir mp3, tem uma vontade imensa de transmitir os seus gostos musicais aos restantes viajantes, suponho que não conhecerão o que são auscultadores. Que saudades que tenho de olhar para as pessoas no metro com os fiozinhos brancos dos phones.
É interessante verificar que os senhores de idade gostam de passear, especialmente nas linhas de autocarro que os conduzem até à praia. Gostam de falar da vida deles, dos vizinhos e de quem não conhecem. Invariavelmente para eles, a juventude de hoje não é como a do tempo deles...
Nos últimos dias tenho assistido a alguns acontecimentos que revelam o verdadeiro povo português:
Hoje sentada ao meu lado ia uma senhora a rezar baixinho a ladínha a Santa Rita de Cássia, terminou-a a fazer o credo em cruz e a beijar três vezes a pagela onde leu a ladaínha. O povo português é religioso.
Ontem às 9:20 da manhã, uma senhora, com o autocarro meio cheio, tirou do seu saco plástico o desodorizante em spray da Rexona, levantou a t-shirt e deu umas sprayadas para os sovacos, deixando um cheiro pestilento em redor dela. O povo português, apesar de não tomar banho todos os dias, gosta de se perfumar para esconder os odores.
Ontem o senhor de idade que ia sentado ao meu lado meteu conversa com toda a gente em redor, como eu não costumo alinhar neste tipo de trocas da vida privada, ficou nitidamente um pouco desiludido. O povo português é naturalmente coscuvilheiro.
Mais acontecimentos sucederão sempre que entrar num autocarro, os dignos de nota irei partilhar convosco!

5 comentários:

Lótus disse...

Eu ando de metro quase todos os dias... mas há anos que não entro num autocarro!
Tenho uma amiga que também me diz que a 'fauna' do autocarro nada tem a ver com a do metro... se bem que pelo menos no que diz respeito à falta de banhinho oencontro, pelo teu post, muitas semelhanças.
E o que me ri com a Rexona-woman!

Abraço.

kuka disse...

Bem vinda ao mundo maravilhoso dos transportes públicos.

Anónimo disse...

Deixo duas questões para a Citra pensar!Será tudo mau no autocarro?!Não será possível ver nada de bom no "povo", digno de registo?

Ovinho Estrela(do) disse...

e o povo poertuguês também é muito mal-educadinho...

Percorri caminhos em autocarros durante toda a gravidez... e o que eu passava, para que a velhinha fofa que ia sentada no lugar que me pertencia por direito, se levantasse para me sentar eu...

Beijinhos, C!

CITRAG disse...

Anónimo: a resposta está no novo post